Digital ***Rádio e Tv: Saiba como é uma mina de bitcoin por dentro.
Informamos a todos, que as postagens inseridas neste blog, são de autoria de seus respectivos produtores, e,
cabe a cada um deles a responsabilidade pela autoria dos itens, bem como o teor de seu conteúdo.

Como veículo de divulgação de informação, temos a responsabilidade de divulgar os itens,
tal qual o que é remetido à nossa assessoria de imprensa.


WhatsApp 11 972914716

Qualquer contato conosco deverá ser efetuado através do "Formulário de Contato", disponível no final desta página (rodapé).

Saiba como é uma mina de bitcoin por dentro.

Foto: Divulgação


O repórter da BBC Danny Vincent visitou recentemente uma mina de Bitcons na China para saber como funciona a operação do negócio. A mina em questão, segundo Vincent, consegue gerar uma receita superior a US$ 8 milhões por ano.

Além de conversar com o dono da mina, Chandler Guo, o repórter também gravou um vídeo em 360 graus que mostra o interior do local. O vídeo pode ser visto abaixo, e usando o mouse é possível girar a câmera para explorar todo o interior da mina:



Como é possível ver no vídeo, o local possui centenas de computadores organizados em prateleiras. Os computadores são utilizados pela rede mundial de bitcoin para processar transações criptografadas, e esse funcionamento gera receita - em bitcoins - para a própria mina.

Embora saiba-se que a mina se encontra na China, uma das solicitações de Guo foi que seu local exato não fosse revelado. Isso porque o dinheiro gerado pelo negócio não passa pelo controle do governo chinês. A BBC pode informar, no entanto, que ela se encontra numa cidade pequena num ponto de altitude tão elevada que é necessário que os visitante levem seus próprios tanques de oxigênio.

Para manter a estrutura em funcionamento, a mina também possui dormitórios para uma equipe que trabalha e mora lá. Segundo o repórter da BBC, a equipe é majoritariamente formada por homens na casa dos 20 anos de idade. Cada dormitório é ocupado por seis funcionários, que mantém a mina funcionando 24 horas por dia, todos os dias, revezando-se em turnos.

Guo é dono também de outra mina igual a essa, e está construindo uma terceira que, segundo ele, será responsável por mais de 30% da geração mundial de bitcoins. Ele também pretende desenvolver um aplicativo que permitirá que a mineração de bitcoins seja feita a partir de smartphones ou tablets.



GUSTAVO SUMARES