Digital ***Rádio e Tv: Você sabe julgar as pessoas?
Informamos a todos, que as postagens inseridas neste blog, são de autoria de seus respectivos produtores, e,
cabe a cada um deles a responsabilidade pela autoria dos itens, bem como o teor de seu conteúdo.

Como veículo de divulgação de informação, temos a responsabilidade de divulgar os itens,
tal qual o que é remetido à nossa assessoria de imprensa.


WhatsApp 11 972914716

Qualquer contato conosco deverá ser efetuado através do "Formulário de Contato", disponível no final desta página (rodapé).

Você sabe julgar as pessoas?




As duas maçãs


Uma garota segurava em suas mãos duas maçãs. Sua mãe entrou e lhe pediu com uma voz doce e um belo sorriso:

- Querida, você poderia dar uma de suas maçãs para mamãe?

A menina levanta os olhos para sua mãe durante alguns segundos, morde subitamente uma das maçãs e, logo em seguida, a outra.

A mãe sente seu rosto se esfriar e perde o sorriso. Ela tenta não mostrar sua decepção quando sua filha lhe dá uma de suas maçãs mordidas. A pequena olha sua mãe com um sorriso de anjo e diz:

- A mais doce é essa!



Julgue com calma.

Um julgamento não pode ser feito às pressas, sem deixar que as pessoas expliquem o porquê de terem aquela atitude. Usando a sua inteligência emocional, é necessário ter uma boa conversa com a pessoa, seja ela seu filho, seu companheiro(a) ou um colega de trabalho.

Tente colocar-se no lugar da pessoa. Qual seria a sua atitude? O que te levaria a tomar um ou outro caminho para a solução? E como seria o julgamento dos outros se você fosse o ator principal naquela história?

É importante conhecer o universo daqueles envolvidos em atitudes que contrariam sua vontade ou forma de pensar. Tentar pensar como eles ajudará a lhe dar um julgamento menos agressivo - afinal, as pessoas não são iguais nem acreditam nas mesmas coisas que você. Seus sonhos são diferentes, suas ideias são outras. E, portanto, suas atitudes também são diversas das suas.

Além disso, julgar imediatamente faz com que, muitas vezes, a raiva, a tristeza, a alegria ou o medo ainda estejam sendo gerados por reações instintivas e hormonais. Espere o "sangue esfriar" - o que, normalmente, ocorre em menos de 2 minutos. Respire fundo e deixe as pessoas se defenderem.

Ao julgar imediatamente as pessoas, você pode transformar algo belo em uma desgraça - como quase aconteceu com a mãe da história acima. Julgar e perdoar caminham na mesma direção. Mas, sem a calma, podem ter destinos opostos.

Sabe esse julgamento que você fez esta semana? Vamos refletir acerca disso? Que tal dar uma chance para a pessoa se explicar?

Fica a dica!

Tenha um excelente fim de semana!

Abraços inspiradores!