Digital ***Rádio e Tv: Produtora brasileira prepara séries de viés humanista para a televisão
Informamos a todos, que as postagens inseridas neste blog, são de autoria de seus respectivos produtores, e,
cabe a cada um deles a responsabilidade pela autoria dos itens, bem como o teor de seu conteúdo.

Como veículo de divulgação de informação, temos a responsabilidade de divulgar os itens,
tal qual o que é remetido à nossa assessoria de imprensa.


WhatsApp 11 972914716

Qualquer contato conosco deverá ser efetuado através do "Formulário de Contato", disponível no final desta página (rodapé).

Produtora brasileira prepara séries de viés humanista para a televisão


Imagem - Reprodução

Responsável por filmes independentes como Um Céu de Estrelas, Antônia, Hoje e De Menor, a produtora brasileira Tangerina está preparando três novas séries para a televisão. As obras, intituladas Causando na Rua, De Menor e A Mulher Que Era o General da Casa, terão em comum temáticas humanistas, retratando histórias de responsabilidade social.

A primeira delas a ficar pronta será Causando na Rua, já em processo de gravação e prevista para estrear no primeiro trimestre de 2016 – todas devem ficar prontas no ano que vem. Em 13 episódios de 26 minutos cada, a produção mostrará ações de coletivos no espaço público. A produção tem direção geral de Tata Amaral, responsável por títulos marcantes da cinematografia brasileira recente, como Um Céu de Estrelas (1996).

De Menor é uma adaptação do longa-metragem de mesmo nome, vencedor do Festival do Rio de mesmo nome, em 2013. A série ficcional é composta por 13 episódios de 52 minutos e se concentra no cotidiano do Fórum Central da cidade de São Paulo e no julgamento de alguns casos. São apresentadas as histórias das famílias dos adolescentes que passam pela Vara da Infância e da Juventude (em casos de delito e criminalidade, adoção, guarda de filhos, entre outros). Os personagens centrais são dois juízes, dois promotores e dois defensores, que se revezam nos casos e estabelecem relações entre si e entre os adolescentes que defendem. O roteiro é da dupla Caru Alves de Souza e Marton Olympio (das séries Natalia e Musas).

Baseada no livro homônimo de Paulo Moreira Leite, A Mulher que Era o General da Casa também tem direção de Tata Amaral e mostra aspectos mais relevantes e menos conhecidos da resistência ao regime ditatorial no Brasil: a luta do cidadão comum, daqueles que foram capazes de enfrentar as dores de seu tempo e mobilizar a sociedade civil para defender os direitos dos que eram sequestrados, presos e torturados.

Ainda não há confirmação dos canais em que as três séries serão exibidas. Além destas produções, a Tangerina também trabalha no lançamento de novos longas para 2016. Trago Comigo, estrelado por Carlos Alberto Riccelli, mais um dirigido por Tata Amaral, tem lançamento previsto para o primeiro semestre de 2016. Outros três novos projetos, todos longas-metragens independentes, encontram-se em desenvolvimento: Bagdá, de Caru Alves de Souza, uma parceria com a produtora Manjericão Filmes, Sequestro Relâmpago, de Tata Amaral, e Vanessa, de Francisco Cesar Filho.

Por: Redação RS
Você também pode interagir conos

Você também pode interagir conosco, ouvindo:

Notícias       Histórias       Música do Dia


***Digital Radio & Tv